Header Ads

Como funcionam as novas formas de censura?

Primeiro é preciso ter em mente que nada é mais nefasto e imoral do que um censor. Toda ditadura começa através da censura, ela é sempre o primeiro passo dado para cercear sua liberdade. Tão logo o ditador consiga te impedir de dizer o que pensa, ele poderá te impedir de fazer qualquer outra coisa. É por isso que a censura, ainda que velada, é a atitude mais desprezível e repudiável, e nunca devemos tolerá-la minimamente. Aliás, temos que ser absolutamente intransigentes com qualquer propenso ditador e acima de tudo com aqueles que o seguem, os militantes.

Dito isso, temos que listar pelo menos duas formas contemporâneas de censura que, em geral, passam despercebidas, especialmente porque são feitas de forma velada, normalmente disfarçadas com o véu das "boas intenções".

1) Fascismo cultural - Politicamente correto

O fascismo cultural é, de longe, a forma mais comum de censura hoje em dia. Tudo começou há muito tempo, de forma mais branda, quando algumas pessoas foram processadas ou expostas publicamente por causa de piadas de mau gosto ou devido a comentários tirados de contexto. No início, as pessoas não perceberam o que acontecia de fato, e tudo isso era visto como algo banal, até que se tornou um verdadeiro inferno.

Hoje, a extrema-esquerda não apenas se utiliza desse expediente para obter ganhos políticos e até jurídicos, como também ela o expandiu a níveis assustadores. Quantas pessoas tiveram suas vidas destruídas apenas porque cometeram o pecado de contar uma piada inapropriada ou dizer o que pensa? Quantos homens já foram acusados de estupro apenas porque xingaram uma garota? Quantas vítimas ainda terão que surgir para que comecemos a levar o assunto realmente a sério?

Tudo isso acontece por um objetivo: poder. A esquerda mais radical tenta intimidar seus opositores com a chantagem política e jurídica adquirida através do fascismo cultural. Quando conseguem, tripudiam, e fazem disso uma bandeira. A verdade é que querem apenas calar quem se opõe, já que uma oposição calada é também uma oposição vencida. Se você estiver impedido de comunicar sua mensagem ao público, se for proibido de falar o que pensa, isso significa que você terá menor alcance e consequentemente menos poder do que eles.

2) Desmoralização através da mentira

A essa altura a maioria de meus leitores já deve ter percebido que, desde o ano passado, uma grande parte da imprensa e dos movimentos de esquerda adotou a narrativa das "fake news". Já tratei deste assunto aqui, mas vale um aprofundamento. A princípio não há crime algum em acusar alguém de mentir, ainda que o próprio acusador esteja mentindo. A censura de fato se iniciou quando, através desta narrativa, grupos de extrema-esquerda se organizaram para vetar o espaço daqueles a quem acusam.

Há uma nítida diferença entre as coisas. Acusar alguém de publicar notícias falsas é política, tentar proibir esta pessoa de publicar notícias é censura escancarada. O que faz com que muitos não percebam a censura neste caso é que a extrema-esquerda foi extremamente habilidosa ao trabalhar essa narrativa na grande mídia, atribuindo a vitória de Trump e do Brexit ao "fato" de blogs de direita estarem "espalhando notícias falsas". Tudo casou bem porque antes disso a mesma imprensa já vinha destruindo a imagem de ambos.

Embora o efeito da imprensa contra Trump e contra o Brexit não tenha funcionado em seus respectivos países, para os brasileiros ele deu certo. Se o povo brasileiro votasse nas eleições americanas Trump jamais teria chegado perto da vitória, assim como o Brexit perderia o referendo se nós votássemos lá. 

De qualquer forma, isso mostra certo desespero. A esquerda perdeu espaço e quer recuperá-lo, para isso está disposta a qualquer coisa, até mesmo forjar uma falsa lista da USP sobre sites de "notícias falsas" (que já desmascarei aqui), ou então colocar uma lista mentirosa no BuzzFeed para que ela fosse compartilhada em outros blogs (ver aqui).

Nota-se que em 99% dos ataques contra as "fake news", a esquerda não consegue sequer apontar qual mentira foi contada. Colocam até sites de opinião ou análise política como sites de "fake news", ainda que os mesmos não publiquem notícia alguma.

É uma jogada suja, mas se não houver uma reação adequada ela pode funcionar. A direita precisa se organizar melhor e passar a rotulá-los como mentirosos. E se eles mentem sobre as fake news, isso significa que eles próprios estão publicando notícias falsas sobre o tema, portanto nada mais justo do que acusá-los de fazer exatamente isso.


'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Tecnologia do Blogger.